quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Joãozinho quase PETISTA!!!]

Muito boa essa. Divirta-se

Assunto: Joãozinho quase PETISTA!!! Joãozinho "quase" petista.
Uma professora petista do ensino fundamental explicava aos alunos o "ser petista". Pediu que levantassem a mão todos aqueles que fossem simpáticos ao partido.

Todos os alunos, por temerem represálias, levantaram a mão, exceto um menino que estava sentado no fundo da sala.

A professora olhou para o menino com surpresa e lhe perguntou:
- Joãozinho, por que não levantou a mão?
- Por que não sou petista! - respondeu.

A professora perguntou de novo:
- Se não é petista, então com quem se simpatiza?
- Com os tucanos! - respondeu com orgulho o menino.

A professora cujos ouvidos fanáticos não podiam dar crédito a algo assim, exclamou:
- Joãozinho, me diga: porque és simpático aos tucanos?

O menino muito tranquilo respondeu:
- Minha mãe é tucano, meu pai é tucano, meu irmão é tucano, por isso eu também sou tucano! - arrematou...
- Bem, replicou a professora - mas isso não é um bom motivo.. Você não tem que ser tucano como seus pais. Por exemplo, se sua mãe fosse mentirosa, seu irmão um meliante vagabundo e contraventor e seu pai um fraudador ladrão de dinheiro público, o que você seria?
- Bom... aí eu seria petista!

domingo, 24 de outubro de 2010

Aborto

“Não adianta discutir o aborto agora.

Os políticos já nasceram mesmo...”

do peixe.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

PF prende três no RS acusados de compra de voto para José Serra

Três pessoas foram presas em flagrante no município de Coxilha, no Rio Grande do Sul, por tentativa de compra de voto. As informações são do jornal “Folha de S. Paulo”. De acordo com a Polícia Federal, elas estavam distribuindo cestas básicas à famílias pobres em um caminhão de som coberto com faixas e bandeiras do candidato tucano à presidência, José Serra.

Dois presos, o motorista do caminhão e o responsável pelo equipamento de som, disseram que faziam um favor ao ajudar na distribuição dos alimentos. A responsável pelas cestas básicas, a assistente social Elizabete Weber, disse que só vai dar declarações em juízo.

A PF apreendeu 18 cestas básicas no caminhão. Os três foram autuados por crime eleitoral, sob a acusação de oferecer ou dar vantagens para obter voto. O advogado de Weber disse que ela pediu ajuda ao diretório do PSDB para distribuir as cestas básicas, fornecidas por uma ONG mantida pela família dela. Segundo o advogado, é comum, em período eleitoral, os comitês de políticos darem esse tipo de ajuda.

De acordo com o site Terra, o secretário do PSDB negou que as pessoas envolvidas tenham relação direta com o partido. Ele admitiu apenas que a dona da ONG "se dá com pessoas do partido". O delegado da PF, no entanto, disse que os presos alegaram prestar serviços para o PSDB em Passo Fundo.

TSE autoriza coligação de Serra a acessar dados de pesquisa Vox Populi

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorizou nesta sexta-feira (22) a coligação "O Brasil Pode Mais", do presidenciável José Serra (PSDB), a acessar dados da pesquisa Vox Populi divulgada na última terça-feira (19).

Por uma decisão do ministro Henrique Neves, o tribunal estabelece que a campanha de Serra poderá fiscalizar as informações por meio do "acesso ao sistema interno de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados" do instituto.

Com base na Lei de Eleições (9504/97), o TSE permitiu ainda o acesso da coligação ao relatório entregue ao solicitante da sondagem, e também ao modelo de questionário aplicado aos entrevistados.

A pesquisa em questão apontou ampliação da vantagem da rival do tucano, Dilma Rousseff (PT), na preferência do eleitorado. Nela, a petista tem 51% das intenções de voto, contra 39% do ex-governador de São Paulo. Na pesquisa anterior do Vox Populi, realizada nos dias 10 e 11 de outubro, Dilma tinha 48%, contra 40% de Serra.

POLÍCIA FEDERAL: TUCANOS MONTARAM CENTRAL DE ESPIONAGEM

A Polícia Federal informou na tarde desta quarta-feira (20), que as investigações sobre a quebra de sigilo fiscal de tucanos apontam para uma rede de espionagem envolvendo os próprios integrantes do PSDB.
Segundo a PF, os dados sigilosos de pessoas ligadas a José Serra foram obtidos por um repórter do jornal O Estado de Minas, no segundo semestre do ano passado, durante a disputa entre os tucanos para saber quem seria o candidato do partido à presidência da República.
Na época, o jornal Estado de Minas declarou apoio explícito (em editorial de capa) à candidatura Aécio Neves – que disputava com Serra a indicação do partido.
O repórter contou à Polícia que passou a investigar pessoas ligadas à Serra depois de descobrir que o então governador de São Paulo mantinha uma central de espionagem contra Aécio, que seria comandada pelo deputado tucano Marcelo Itagiba.
Segundo Amaury Ribeiro Junior, os arapongas de Serra buscavam informações sobre a vida privada do governador mineiro.
A partir daí, Amaury contratou vários despachantes em São Paulo e foi à capital paulista, com viagem paga pelo jornal O Estado de Minas, para receber vários documentos sobre parentes e amigos de Serra.
A Polícia Federal diz ter provas de que isso aconteceu no dia 8 de outubro de 2009, quando no PT não havia nem pré-campanha presidencial. O PT estava totalmente envolvido em sua campanha interna para renovar a direção partidária.
Amaury contou ainda à PF que há 10 anos investiga o processo de privatização da telefonia no governo FHC – e que pessoas ligadas a Serra teriam se beneficiado do esquema.
O principal operador seria Ricardo Sérgio de Oliveira, amigo de Serra e diretor do Banco do Brasil na gestão tucana. O repórter diz ainda que obteve documentos provando que a filha de Serra, Verônica, e o marido dela, teriam contas suspeitas em paraísos fiscais.
O delegado que deu as informações à imprensa nesta quarta-feira, Alessandro Moretti, disse que 7 pessoas foram indiciadas pelo vazamento de dados da Receita Federal, mas não forneceu os nomes. Ele disse que faltam algumas diligências para encerrar o inquérito, mas que elas não devem alterar a conclusão. Fonte :Pt veja o video.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

(Intervalo)BERLIN - Take My Breath Away

Em Maringá, Serra explica “papel na cabeça”

Por Luiz Balbino

Juro por minha mãe. Acabei de falar com Serra aqui em Maringá. Quando desceu da van, tropicou e não caiu porque segurei. Olhei pra ele: “Serra, vi o tamanho da bolinha, como foi fazer tomografia?”

Ele: “Houve mais que você não viu”. Falei: “O SBT mostrou, pegou bem aqui (e apontei no local)”. Um grande tucano olhou e disse: “Tinha chumbo dentro”. Eu: “Mas como pode o chumbo quicar?” Ele falou: “Não, era vidro”. Aí subiu no carro e peguei uma bolinha igual do bolso: “Serra, era desse tamanho”. E joguei em minha própria cabeça, que senti fazer o efeito igual. Todos olhavam. Ele: “Jogaram mais”. Eu disse: “Tá bom”. Ele: “Tá bom o que?” Eu: “E a tomografia foi boa?” Ele disse sem som: “Vai t…” E gritei: “Hoje te conheci de verdade Serra”. Richa e os outros grãos tucanos me olhavam com vergonha. A caravana começou e fui com a moto, os empregados das lojas mal olhavam, muitos nem viraram. Era pra atravessar a Brasil. Não andou 2 km e parou do nada. Chamaram a van, Serra entrou e se mandou pro aeroporto.

Via blog do Rigon.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

sábado, 16 de outubro de 2010

Deu na Folha de S. Paulo: Monica Serra contou ter feito aborto, diz ex-aluna

Mônica Bergamo

O discurso do candidato à Presidência José Serra (PSDB) de que é contra o aborto por "valores cristãos", que impedem a interrupção da gravidez em quaisquer circunstâncias, é questionado por ex-alunas de sua mulher, Monica Serra.

Num evento no Rio, há um mês, a psicóloga teria dito a um evangélico, segundo a Agência Estado, que a candidata Dilma Rousseff (PT), que já defendeu a descriminalização do aborto, é a favor de "matar criancinhas".

Segundo relato feito à Folha por ex-alunas de Monica no curso de dança da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), a então professora lhes contou em uma aula, em 1992, que fez um aborto quando estava no exílio com o marido.

Depois do golpe militar no Brasil, Serra se mudou para o Chile, onde conheceu a mulher. Em 1973, com o golpe que levou Augusto Pinochet ao poder, o casal se mudou para os Estados Unidos.

A Folha tentou falar com Monica Serra durante dois dias para comentar o relato das ex-alunas, sem sucesso.

Um dia depois do debate da TV Bandeirantes, no domingo, 10, a bailarina Sheila Canevacci Ribeiro, 37, postou uma mensagem em seu Facebook para "deixar a minha indignação pelo posicionamento escorregadio de José Serra" em relação ao tema.

Ela escreveu que Serra não respeitava "tantas mulheres, começando pela sua própria mulher. Sim, Monica Serra já fez um aborto". A mensagem foi replicada em outras páginas do site e em blogs.

"Com todo respeito que devo a essa minha professora, gostaria de revelar publicamente que muitas de nossas aulas foram regadas a discussões sobre o seu aborto traumático", escreveu Sheila no Facebook. "Devemos prender Monica Serra caso seu marido fosse [sic] eleito presidente?"

À Folha a bailarina diz que "confirma cem por cento" tudo o que escreveu. Sheila afirma que não é filiada a partido político. Diz ter votado em Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) no primeiro turno. No segundo, estará no Líbano, onde participará de performance de arte.

Se estivesse no Brasil, optaria por Dilma Rousseff (PT). Sheila é filha da socióloga Majô Ribeiro, que foi aluna de mestrado na USP de Eva Blay, suplente de Fernando Henrique Cardoso no Senado em 1993. Majô foi pesquisadora do Núcleo de Estudos da Mulher e Relações Sociais de Gênero da USP, fundado pela primeira-dama Ruth Cardoso (1930-2008).

Militante feminista, Majô foi candidata derrotada a vereadora e a vice-prefeita em Osasco pelo PSDB.
A socióloga disse à Folha estar "preocupada" com a filha, mas afirma que a criou para "ser uma mulher livre" e que ela "agiu como cidadã".

Sheila é casada com o antropólogo italiano Massimo Canevacci, que foi professor de antropologia cultural na Universidade La Sapienza, em Roma, e hoje dirige pesquisas no Brasil.

A Folha localizou uma colega de classe de Sheila pelo Facebook. Professora de dança em Brasília, ela concordou em falar sob a condição de anonimato.

Contou que, nas aulas, as alunas se sentavam em círculos, criando uma situação de intimidade. Enquanto fazia gestos de dança, Monica explicava como marcas e traumas da vida alteram movimentos do corpo e se refletem na vida cotidiana.

Segundo a ex-estudante, as pessoas compartilhavam suas histórias, algo comum em uma aula de psicologia.

Nesse contexto, afirmou, Monica compartilhou sua história com o grupo de alunas. Disse ter feito o aborto por causa da ditadura.

Ainda de acordo com a ex-aluna, Monica disse que o futuro dela e do marido, José Serra, era muito incerto.

Quando engravidou, teria relatado Monica à então aluna, o casal se viu numa situação muito vulnerável.

"Ela não confessou. Ela contou", diz Sheila Canevacci. "Não sou uma pessoa denunciando coisas. Mas [ela é] uma pessoa pública, que fala em público que é contra o aborto, é errado. Ela tem uma responsabilidade ética."

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Programa de propaganda de Dilma (15/10 - noite)

Pastores e padres abrem comício de Dilma em São Paulo

Pastores evangélicos e padres católicos abriram o comício da candidata petista à Presidência da República,Dilma Rousseff, na noite desta sexta-feira (15), em São Paulo. O comício, marcado para à 19h, começou com a participação de religiosos, que discursaram, fizeram orações e cantaram músicas religiosas pela candidata.

O padre Júlio Lancelotti, representante dos católicos, foi responsável por um dos discursos mais fortes em defesa da candidata. Ele afirmou que a presença de padres e bispos evangélicos no comício era para “afastar o demônio da calúnia e da difamação”.

“São vários padres, várias igrejas com seus padres missionários. A palavra que eu quero compartilhar é a palavra de Deus, é a palavra de vida. Não se pode usar palavra de Deus para condenar, muito menos para mentir. A palavra de Deus não pode ser usada embutida em boatos, em calúnias, em difamação. A presença dos padres e bispos é para afastar o demônio da calúnia e da difamação, o demônio que não constrói. O povo precisa ter liberdade de escolha. Deus no fez livres, não com cabrestos", declarou.

Representante das igrejas evangélicas, o pastor Melo pediu que as pessoas mais necessitadas fossem beneficiadas pelo governo da petista, caso ela vença a eleição. O pastor se apresentou como representante dos Gideões Missionários, grupo que reúne integrantes de igrejas evangélicas.

Ele também fez um apelo pela criação de uma universidade federal na região do comício da candidata petista. “Que o novo governo instale a universidade federal na Zona Leste”, disse o pastor.

“Nós queremos escolher um caminho que continue, um caminho que defenda os pobres, que tenha compaixão pelos sofredores, que livre e liberte as pessoas da escravidão, das injustiças. Todos nós, pastores e religiosos, estamos aqui para dizer que não temos medo de mostrar nossos rostos, e nós, nas nossas igrejas, não usamos a palavra de Deus para fazer mentira e difamações. A palavra de Deus nos chama para defender os mais fracos", afirmou.Do G1, em Brasília

Mude

Mude,
Mas comece devagar, porque a direção é mais importante do que a velocidade.

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa. Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira para passear livremente no campo, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos. Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama, depois procure dormir em outras camas da casa.

Assista a outros programas de tv, compre outros jornais, leia outros livros. Não faça do hábito um estilo de vida.

Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua. Corrija a postura.

Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.

Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, a nova vida. Tente.

Busque novos amigos. Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, compre pão em outra padaria. Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado, outra marca de sabonete, outro creme dental, tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares. Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.

Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva versos e poesias.

Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores. Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.

Mude.

Lembre-se de que a Vida é uma só.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.

Grite o mais alto que puder no espaço vazio. Deixem pensar que você está louco.

Aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. A positividade que você está sentindo agora. Só o que está morto não muda!Edson Marques

Conheça Paulo Preto O arrecadador da campanha de José Serra

DILMA ROUSSEFF ASSINA CARTA CONTRA ABORTO E CASAMENTO HOMOSSEXUAL - 14/10/10

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

(Intervalo)Pholhas-She make me cry

Pai, perdoai. Eles não sabem o que fazem

Por sugestão de um leitor, seguem os artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1948 – e enterrada, sem cerimônias, nas eleições brasileiras de 2010. A fala de um pastor nesta quarta que, do alto de sua triste ignorância, conclamou seus fiéis a lutar contra essa coisa do mal que são os direitos humanos, deu a inspiração para um epitáfio:

“Aqui jaz uma boa idéia para a qual os brasileiros ainda não estavam preparados. Pai, perdoai. Eles não sabem o que fazem.”

Vale a pena a leitura. Nem que seja por saudosismo.

Artigo I.
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

Artigo II.
1. Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, idioma, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
2. Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.

Artigo III.
Todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo IV.
Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.

Artigo V.
Ninguém será submetido à tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Artigo VI.
Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

Artigo VII.
Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

Artigo VIII.
Todo ser humano tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

Artigo IX.
Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

Artigo X.
Todo ser humano tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir sobre seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

Artigo XI.
1. Todo ser humano acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa.
2. Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituíam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

Artigo XII.
Ninguém será sujeito à interferência em sua vida privada, em sua família, em seu lar ou em sua correspondência, nem a ataque à sua honra e reputação. Todo ser humano tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

Artigo XIII.
1. Todo ser humano tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.
2. Todo ser humano tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.

Artigo XIV.
1. Todo ser humano, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.
2. Este direito não pode ser invocado em caso de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo XV.
1. Todo homem tem direito a uma nacionalidade.
2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

Artigo XVI.
1. Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, têm o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.
2. O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.
3. A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado.

Artigo XVII.
1. Todo ser humano tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.
2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

Artigo XVIII.
Todo ser humano tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, em público ou em particular.

Artigo XIX.
Todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

Artigo XX.
1. Todo ser humano tem direito à liberdade de reunião e associação pacífica.
2. Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

Artigo XXI.
1. Todo ser humano tem o direito de fazer parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos.
2. Todo ser humano tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
3. A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

Artigo XXII.
Todo ser humano, como membro da sociedade, tem direito à segurança social, à realização pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indispensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento da sua personalidade.

Artigo XXIII.
1. Todo ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.
2. Todo ser humano, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
3. Todo ser humano que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.
4. Todo ser humano tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.

Artigo XXIV.
Todo ser humano tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas.

Artigo XXV.
1. Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar-lhe, e a sua família, saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.
2. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio gozarão da mesma proteção social.

Artigo XXVI.
1. Todo ser humano tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
2. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.
3. Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

Artigo XXVII.
1. Todo ser humano tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir das artes e de participar do progresso científico e de seus benefícios.
2. Todo ser humano tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica literária ou artística da qual seja autor.

Artigo XXVIII.
Todo ser humano tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

Artigo XXIX.
1. Todo ser humano tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.
2. No exercício de seus direitos e liberdades, todo ser humano estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.
3. Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo XXX.
Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.Do Blog do Sakamoto.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

BB lança linha de empréstimos que usa imóvel do cliente como garantia

SÃO PAULO – O BB (Banco do Brasil) colocou à disposição dos seus clientes pessoa física a linha de crédito para refinanciamento imobiliário, o BB Crédito Imóvel Próprio.

A modalidade de empréstimo pessoal, surgida nos EUA e conhecida como “home equity”, usa o imóvel do cliente como garantia do cumprimento de uma obrigação, via instrumento de alienação fiduciária.

Os usuários podem tomar o financiamento com valores entre R$ 100 mil e R$ 500 mil, além da transferirem dívidas de outra instituição financeira para o BB. O prazo para devolução do empréstimo é de até 120 meses, com prestações fixas e taxas diferenciadas.

De acordo com o banco, o valor do empréstimo pode chegar a 50% do valor do imóvel, que deve ser residencial, urbano, quitado e livre de encargos.

Outros bancos

Na CEF (Caixa Econômica Federal), o valor mínimo emprestado é de R$ 20 mil, sendo que a alienação fiduciária é de bem comercial, de segundo imóvel residencial urbano ou de terreno em nome do cliente no valor mínimo de R$ 50 mil.

No Santander, que oferece a modalidade desde agosto de 2008, as taxas de juros vão de 1,56% ao mês para o prazo de cinco anos a 1,60% ao mês para o prazo de dez anos. O valor a ser financiado varia de R$ 30 mil a R$ 500 mil, com prazo de dez anos, usando como garantia imóvel residencial ou comercial, que esteja quitado e se localize em perímetro urbano.

No Bradesco, a modalidade tem como garantia o imóvel próprio ou de terceiros, desde que esteja quitado, e, no caso de terceiros, que não seja seu único imóvel utilizado como residência. O valor mínimo a contratar é de R$ 20 mil e o máximo, de 70% do valor avaliado da propriedade.

Certeza

“Pensando bem, o dia que seu voto tiver o poder de mudar alguma coisa, pode ter certeza que será proibido.”

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

(Intervalo) Indios Legião Urbana

SEGUNDO TURNO: 13 RAZÕES PARA VOTAR EM DILMA

SEGUNDO TURNO: 13 RAZÕES PARA VOTAR EM DILMA
Dilma Rousseff venceu o primeiro turno com 47 milhões de votos de brasileiros e brasileiras que acreditam na continuidade dos avanços dos últimos anos. Neste segundo turno, Dilma reafirma seus compromissos com a população e pretende fazer muito pelo Brasil, como erradicar a miséria, gerar mais empregos, melhorar a educação, saúde e segurança pública.
Chegou a hora de conhecer e divulgar o folheto com as 13 principais razões para votar em Dilma no segundo turno. Imprima este folheto e distribua para os amigos.
Conheça aqui as 13 razões.
1. FIM DA MISÉRIA – Com Lula, 36 milhões de pessoas entraram para a classe média e 28 milhões saíram da pobreza absoluta. Dilma vai aprofundar esse caminho e lutar para acabar com a miséria no país.


2. MAIS EMPREGOS – O Brasil nunca gerou tantos empregos como agora. Dilma – que coordenou o PAC e o Minha Casa, Minha Vida, programas que levam obras e empregos a todo o país – é a garantia de que o mercado de trabalho vai continuar crescendo para todos.


3. MAIS REAJUSTES SALARIAIS – Com Lula, o salário mínimo sempre teve reajustes bem acima da inflação e houve aumento da massa salarial em geral. Dilma vai manter e aperfeiçoar essa política que tem ajudado a melhorar a vida de tantas famílias, em todo país.


4. MAIS BOLSA FAMÍLIA – Agora, existe candidato fingindo que é a favor do Bolsa Família, mas o povo brasileiro sabe: só Dilma garante o fortalecimento desse e de outros programas sociais criados por Lula.


5. MAIS EDUCAÇÃO – Lula criou o ProUni, mais universidades e escolas técnicas do que qualquer outro governo. Dilma vai seguir abrindo as portas da educação para todos. Com ela, serão construídas escolas técnicas em municípios com mais de 50 mil habitantes e em cidades-pólo.


6. MAIS SAÚDE – Lula ampliou o Saúde da Família, implantou o Samu 192, as Farmácias Populares e o Brasil Sorridente. Dilma já garantiu: vai criar 500 Unidades de Pronto Atendimento – as UPAs 24 horas. E 8.600 novas Unidades Básicas de Saúde – as UBS. Tudo para o bem estar da família brasileira.


7. MAIS SEGURANÇA – Lula está fazendo um investimento inédito na segurança pública, com o Pronasci, que tem, entre suas prioridades, o policiamento comunitário, a inclusão do jovem e a parceria com a sociedade. Dilma vai ampliar essa ação, usando como modelo as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que estão livrando várias comunidades do Rio de Janeiro do domínio do tráfico de drogas.


8. MAIS COMBATE AO CRACK – Dilma vai combater a praga do crack com autoridade, carinho e apoio. Apoio para impedir que mais jovens caiam nessa armadilha fatal. Carinho para cuidar dos que precisam se libertar da dependência. E autoridade para combater e derrotar os traficantes.


9. MAIS CRECHES – Dilma quer garantir mais tranquilidade para as famílias que trabalham e não têm onde deixar os filhos. Por isso, já assumiu o compromisso de construir 6 mil creches e pré-escolas em todo o país.


10. MAIS MORADIAS POPULARES – Juntos, Lula e Dilma criaram o Minha Casa, Minha Vida, que está realizando o sonho da casa própria de muita gente. Dilma vai ampliar o programa, garantindo mais 2 milhões de moradias populares para quem mais precisa.


11. MAIS APOIO AO CAMPO – Nossos agricultores nunca tiveram tanto apoio para produzir e crescer na vida. Dilma – que criou o Luz para Todos, levando energia para milhões de lares brasileiros – é a certeza de que esse trabalho vai seguir em frente, tanto para o agronegócio como para a agricultura familiar.


12. MAIS CRÉDITO – Lula criou o crédito consignado e facilitou o acesso da população a várias linhas de crédito. É por aí que Dilma vai seguir para continuar beneficiando toda a população.


13. MAIS RESPEITO AO BRASIL – Com Lula, o Brasil pagou sua dívida com o FMI e passou a ser um país respeitado em todo o mundo. O país vai realizar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Dilma quer o Brasil assim: forte, independente e cada vez mais admirado aqui e lá fora. Ripado do João da Caixa

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Serra em apuros

REV. SANDRO AMADEU CERVEIRA : ELEIÇÕES 2010 E OS APROVEITADORES DA BOA FÉ E DA CREDULIDADE EVANGÉLICA

Talvez eu tenha falhado como pastor nestas eleições. Digo isso porque estou com a impressão de ter feito pouco para desconstruir ou no pelo menos problematizar a onda de boataria e os posicionamentos “ungidos” de alguns caciques evangélicos. [1]

Talvez o mais grotesco tenham sido os emails e “vídeos” afirmando que votar em Dilma e no PT seria o mesmo que apoiar uma conspiração que mataria Dilma (por meios sobrenaturais) assim que fosse eleita e logo a seguir implantaria no Brasil uma ditadura comunista-luciferiana pelas mãos do filho de Michel Temer. Em outras o próprio Temer seria o satanista mor. Confesso que não respondi publicamente esse tipo de mensagem por acreditar que tamanha absurdo seria rejeitada pelo bom senso de meus irmãos evangélicos. Para além da “viagem” do conteúdo a absoluta falta de fontes e provas para estas “notícias” deveria ter levado (acreditei) as pessoas de boa fé a pelo menos desconfiar destas graves acusações infundadas. [2]

A candidata Marina Silva, uma evangélica da Assembléia de Deus, até onde se sabe sem qualquer mancha em sua biografia, também não saiu ilesa. Várias denominações evangélicas antes fervorosas defensoras de um “candidato evangélico” a presidência da república simplesmente ignoraram esta assembleiana de longa data.

Como se não bastasse, Marina foi também acusada pelo pastor Silas Malafaia de ser “dissimulada”, “pior do que o ímpio” e defender, (segundo ele), um plebiscito sobre o aborto. Surpreende como um líder da inteligência de Malafaia declare seu apoio a Marina em um dia, mude de voto três dias depois e à apenas 6 dias das eleições desconheça as proposições de sua irmã na fé.

De fato Marina Silva afirmou (desde cedo na campanha, diga-se de passagem) que “casos de alta complexidade cultural, moral, social e espiritual como esses, (aborto e maconha) deveriam ser debatidos pela sociedade na forma de plebiscito” [3], mas de fato não disse que uma vez eleita ela convocaria esse plebiscito.

O mais surpreendentemente, porém foi o absoluto silêncio quanto ao candidato José Serra. O candidato tucano foi curiosamente poupado. Somente a campanha adversária lembrou que foi ele, Serra a trazer o aborto para dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) [4]. Enquanto ministro da saúde o candidato do PSDB assinou em 1998 a norma técnica do SUS ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez [5]. Fiquei intrigado que nenhum colega pastor absolutamente contra o aborto tenha se dignado a me avisar desta “barbaridade”.

Também foi de estranhar que nenhum pastor preocupado com a legalização das drogas tenha disparado uma enxurrada de-mails alertando os evangélicos de que o presidente de honra do PSDB, e ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso defenda a descriminalização da posse de maconha para o consumo pessoal [6].

Por fim nem Malafaia, nem os boateiros de plantão tiveram interesse em dar visibilidade a noticia veiculada pelo jornal a Folha de São Paulo (Edição eletrônica de 21/06/10) nos alertando para o fato de que “O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou nesta segunda-feira ser a favor da união civil e da adoção de crianças por casais homossexuais.” [7]

Depois de tudo isso é razoável desconfiar que o problema não esteja realmente na posição que os candidatos tenham sobre o aborto, união civil e adoção de crianças por homossexuais ou ainda a descriminalização da maconha. Se o problema fosse realmente o comprometimento dos candidatos e seus partidos com as questões acima os líderes evangélicos que abominam estas propostas não teriam alternativa.

A única postura coerente seria então pregar o voto nulo, branco ou ainda a ausência justificada. Se tivessem realmente a coragem que aparentam em suas bravatas televisivas deveriam convocar um boicote às eleições. Um gigantesco protesto a-partidário denunciando o fato de que nenhum dos candidatos com chances de ser eleitos tenha realmente se comprometido de forma clara e inequívoca com os valores evangélicos. Fazer uma denuncia seletiva de quem esta comprometido com a “iniqüidade” é, no mínimo, desonesto.

Falar mal de candidato A e beneficiar B por tabela (sendo que B está igualmente comprometido com os mesmo “problemas”) é muito fácil. Difícil é se arriscar num ato conseqüente de desobediência civil como fez Luther King quando entendeu que as leis de seu país eram iníquas.

Termino dizendo que não deixarei de votar nestas eleições.

Não o farei por ter alguma esperança de que o Estado brasileiro transforme nossos costumes e percepções morais em lei criminalizando o que consideramos pecado. Aliás tenho verdadeiro pavor de abrir esse precedente.

Não o farei porque acredite que a pessoa em quem votarei seja católica, cristã ou evangélica e isso vá “abençoar” o Brasil. Sei, como lembrou o apóstolo Paulo, que se agisse assim teria de sair do mundo.

Votarei consciente de que os temas aqui mencionados (união civil de pessoas do mesmo sexo, descriminalização do aborto, descriminalização de algumas drogas entre outras polêmicas) não serão resolvidos pelo presidente ou presidenta da república. Como qualquer pessoa informada sobre o tema, sei que assuntos assim devem ser discutidos pela sociedade civil, pelo legislativo e eventualmente pelo judiciário (como foi o caso da lei de biossegurança) [8] com serenidade e racionalidade.

Votarei na pessoa que acredito representa o melhor projeto político para o Brasil levando em conta outras questões (aparentemente esquecidas pelos lideres evangélicos presentes na mídia) tais como distribuição de renda, justiça social, direitos humanos, tratamento digno para os profissionais da educação, entre outros temas. (Ver Mateus 25: 31-46) Estas questões até podem não interessar aos líderes evangélicos e cristãos em geral que já ascenderam à classe média alta, mas certamente tem toda a relevância para nossos irmãos mais pobres.Fonte: Segunda Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.

Pesquisas

Idéia da censura

Quem orientou o candidato Beto Richa (PSDB) a censurar as pesquisas no Paraná foi o ex-governador mineiro Aécio Neves (PSDB). Recomendação seguida ao pé da letra.

Argumento

Os resultados das urnas, que lhe deram ampla vantagem na eleição, e não previsto na única pesquisa do Ibope que o Tribunal Superior Eleitoral liberou, é o principal argumento que o governador eleito Beto Richa utiliza para afirmar que estava certo em censurar as nove pesquisas nos últimos 15 dias de campanha no Paraná.

Quem censura, nunca está certo. A censura, no caso, foi o elemento mais importante para sustentar a estratégia da campanha tucana para conter o avanço adversário. Deu certo, inegavelmente.

Outras pesquisas

Três perguntas básicas devem ser respondidas pelo governador eleito Beto Richa sobre a censura no Paraná:

1) Por que a coordenação da campanha tucana só localizou defeitos nos números dos institutos de pesquisa depois que foi registrada a redução da diferença entre ele e Osmar Dias (PDT)?

2) Por que a campanha tucana divulgou em pleno horário eleitoral gratuito que o então prefeito Beto Richa fora apontado como o melhor do Brasil dez vezes pelos mesmos institutos de pesquisa responsáveis pelas pesquisas eleitorais?

3) As tais pesquisas também não influenciaram a decisão do eleitor?

Conclusão

Essa história de censura e pesquisas no Paraná lembra a filosofia daquele ministro de FHC, o Rubens Ricupero, que resumiu tudo em uma frase, infelizmente captada pelos microfones do Bom Dia Brasil, da TV Globo: “o que é bom o governo mostra, o que é ruim, o governo esconde”.
O ministro perdeu o cargo por essa frase tão verdadeira quanto eficaz.
(Ruth Bolognese)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Belinati também perdeu

Também quem se deu mal, mas muito mal mesmo foi o candidato barrado pelo Ficha Limpa, Antonio Belinati, que fez apenas 3 mil votos.
Ele tentou de todas as formas transferir votos para o filho Antonio Carlos, que usou o nome de guerra do pai Belinati para confundir o eleitor. Muita gente realmente se confundiu, mas quem parou para pensar um pouquinho percebeu o 171. O resultado veio na urna. Belinati, o filho que usou o nome do pai, fez 25 mil votos em Londrina - 32 mil votos no total -, também insuficiente para se eleger.
Há quem diga que isso significa o fim da era Belinati em Londrina.
Não é bem assim. Se um dia o Ficha Limpa autorizar Belinati, o pai, a voltar a concorrer a um cargo eletivo, com certeza ele dará trabalho. Fonte:Paçoca com Cebola

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Paulo Henrique Amorim

Os colonistas (*) da Globo se excitaram demais com a vitória que significou levar a eleição para o segundo turno.

Devagar com o andor.

O PiG (**) e seus colonistas (*) não levaram a eleição para o segundo turno.

Não foi a Lunus 2010 e a ação conjunta de denúncias, que começaram com a quebra de sigilo do Eduardo Jorge e terminaram com a Erenice.

A Dilma parou de subir e a Marina começou a subir com a questão religiosa.

O aborto.

O ateismo.

A luta política clandestina.

A Bláblárina Silva capitalizou tudo isso, e enrolou numa bandeira “verde”, capitalista.

A Traíra in natura – embora tenha perdido a eleição no Acre.

Ela não ganhou voto porque seja verde, cripto-capitalista ou porque seja da Natura.

E, sim, porque encarnou a “religiosidade”, a evangélica pura, imaculada.

Aquela que não acredita em Darwin.

Esse é o desafio da Dilma.

O Serra não herda isso automaticamente.

O Serra é tão religioso quanto democrata.

Não é Fernando Henrique quem diz que o Serra tem um “demoniozinho” dentro do peito ?

O Ricardo Guedes, da Sensus, me disse neste domingo à tarde que só um fator tirava a vitória da Dilma no primeiro turno.

A “questão religiosa”.

Esse é um voto silencioso, subterrâneo, confessional, que pesquisa de opinião pública não capta.

Fica todo mundo preocupado com a economia, com a reação política à economia e se esquece da “questão religiosa”, quando ela se associa à discussão de valores morais.

Quem melhor pode explicar como isso funciona, hoje, no Brasil, é a deputada federal eleita pelo Rio, Jandira Feghali.

Ela estava praticamente eleita Senadora e, na véspera da eleição, as igrejas do Rio foram invadidas de panfletos que a acusavam de defender o aborto.

Guedes lembrou o que aconteceu na primeira eleição do Bush.

Esqueça a Florida, diz o Guedes, onde houve fraude.

Em muitos outros pontos do país, sem que os institutos de opinião captassem, o eleitor foi para o Bush com medo do casamento gay.

Ao lado de tudo isso, deve haver, também, uma inclinação mais acentuada do voto feminino, da mulher religiosa, que zela e inspira a família.

A Dilma vai ter que levar os líderes religiosos para o palanque.

Explicar de novo o que pensa do aborto.

O Lula tem que relembrar que sempre foi católico devotado.

Falar da D Lindu.

Levar o José de Alencar para o programa eleitoral.

A Bláblárina e seus 19% aplicaram à política brasileira dose cavalar de um fenômeno insólito: a religião.

O bolso não foi a parte mais sensível do corpo do eleitor, no primeiro turno.

Como previu o Conversa Afiada, pode ser pela sacristia que o eleitor de Classe C, que o Lula fortaleceu, comece a votar no Berlusconi.

De novo, por não existir uma Ley de Medios, e, por isso, como não há debate sobre políticas públicas, foi possível enfiar a questão do aborto por debaixo da porta da campanha.

Não vai ser o Serra que vai conquistar esse voto.

Ele vai levar o voto neoliberal da Marina.

Do neoliberal que, no primeiro turno, votou na Marina, porque teve vergonha de votar no Serra.

O “voto religioso” deve ser da Dilma.

De novo, o Lula vai explicar isso a quem votou – por equívoco – na Marina.

Ele faz isso melhor do que ninguém.

Duas caras

Será que existe alguém mais falso do que o eleitor ?
cada um tem o governo que merece;e a vida continua.