quinta-feira, 29 de abril de 2010

Infancia

"A melhor idade mesmo é a infancia,
para quem teve..." Marilusa Moreira.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Dilma e Serra

De leitor da folha, desta sexta-feira. Por motivos óbvios, a carta não foi publicada na edição impressa.

"Dilma é terrorista por ter combatido a ditadura militar, esta sim, que matou milhares no Brasil, sendo muitos desaparecidos até hoje?
Se hoje vivemos num país livre é por causa de pessoas como ela, e mesmo o Serra, que combateram os militares da maneira que acharam melhor. Agora, chamar alguém de despreparada uma pessoa que chefiou a Casa Civil do governo mais bem sucedido da história do Brasil em termos econômicos e sociais, é ridículo e desespero.
Do PAC ao Bolsa Família, do Luz para Todos ao Prouni, entre muitas outras ações bem sucedidas, tudo passa pela Casa Civil. Dilma é a gerente do governo Lula e tão ou mais preparada que qualquer outro candidato. Serra foi ministro de FHC, um dos piores governos que o Brasil teve em termos sociais e econômicos, e é governador de SP, onde temos pedágios abusivos e educação de péssima qualidade, e o PSDB já governa São Paulo há 15 anos." Da Casa do Noca.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Socialismo e Capitalismo - Adrian Rogers, 1931

Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.

Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e 'justo. '

O professor então disse, "Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas."

Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam 'justas. ' Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia um "A"...

Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.

Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos - eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média das provas foi "D".

Ninguém gostou.

Depois da terceira prova, a média geral foi um "F".

As notas não voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram o ano... Para sua total surpresa.

O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado.

"Quando a recompensa é grande", ele disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós.
Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável."

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber.
O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém.



Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.
É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Fonte : AmigosdoFreud.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Beethoven

Para parecer alguma coisa é preciso ser alguma coisa.

Rui Barbosa

"A imprensa é a vista da nação. Por ela é que a nação acompanha o que lhe passa ao perto e ao longe, enxerga o que lhe malfazem, devassa o que lhe ocultam e tramam, colhe o que lhe sonegam, ou roubam, percebe onde lhe alvejam, ou nodoam, mede o que lhe cerceiam, ou destroem, vela pelo que lhe interessa, e se acautela do que ameaça."

Fantástico denuncia esquema entre médicos e farmácias

quinta-feira, 8 de abril de 2010

A cobra e o vaga-lume

Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vaga-lume que só vivia para brilhar. Ele fugia rapidamente, com medo da feroz predadora, e a cobra nem pensava em desistir.

Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada… No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra:

– Posso fazer-lhe três perguntas?

– Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou comer você mesmo, pode perguntar…

– Pertenço a sua cadeia alimentar?

– Não.

– Te fiz alguma coisa?

– Não.

– Então, por que você quer me comer?

– Porque não suporto ver você brilhar…

Parábolas extraídas do livro As Mais Belas Parábolas de Todos os Tempos

terça-feira, 6 de abril de 2010

Henry Ford

( O fracasso é a oportunidade de começar
de novo.)

Foco

Na hora da venda o melhor cliente é o que
voce está atendendo.quem chega e quem sai
é outro papo.

quinta-feira, 1 de abril de 2010